Grenier

Photos-Clement-Grenier-20-ans_portrait_w674Nascido a 21 anos atrás na cidade de Annonay, Grenier é um dos maiores talentos da sua geração.

A sua carreira começa com 9 anos de idade, estreando-se na equipa de benjamins do clube local, o FC Annonay. Desde cedo ganhando uma preponderância única, Grenier levou a sua modesta equipa à final da Taça francesa Sub-9, o que levou os scouts dos maiores clubes franceses a tentarem a sua contratação. O interesse mais vincado foi do Olympique Lyonnais, que acaba por contratar o jovem em 2002.

Grenier juntou-se assim ás camadas jovens do colosso nacional e, a verdade, é que nunca mais de lá saiu.

Passando por todos os escalões do futebol de formação, o atleta francês ia-se destacando cada vez que pisava o relvado. Com 16 anos é comparado a Kaká e desperta o interesse de Real Madrid, Arsenal, Chelsea e Inter. Em 2008, o Lyon não tem outra solução e oferece-lhe o primeiro contrato profissional.

Desde 2008 até ao presente, Clément Grenier tem vindo a cimentar o seu lugar no plantel e, neste momento, é um dos titulares da equipa de Rémi Garde.

Jogando no centro do terreno, Grenier destaca-se pela sua qualidade técnica e habilidade, tendo uma enorme facilidade de desembaraçar-se dos adversários.

Com um futuro risonho pela frente, Clément Grenier será com toda a certeza um dos pilares do futuro do futebol gaulês.

Texto de Bruno Sol Pinto

Anúncios

Sterling

“Deslumbrou o mundo do futebol com o seu talento”. 

Foi esta uma das capas do jornal jamaicano The Gleaner, referindo-se a um craque em ebulição em terras de Sua Majestade. Na altura, este pequeno craque tinha 14 anos.

O seu nome?… Raheem Shaquille Sterling

Nasceu na capital Kingston, na Jamaica. A sua infância foi passada, essencialmente, com a sua avó. Com apenas 5 anos, Sterling segue com a mãe para Londres, onde cresce e se desenvolve.

O futebol estava-lhe no sangue e com a idade de 10 anos entra para as escolas de formação do Queens Park Rangers. Tornou-se em pouco tempo um dos jogadores mais fantásticos da área da formação, atraindo interesse de vários clubes e, tal como fiz questão de enunciar no início, Sterling já figurava nas capas de jornais do seu país natal.

O Liverpool, na altura comandado por Rafael Benítez, contratou o atleta, vendo nele uma enorme margem de progressão.

Começou a jogar pelas reservas do clube de Anfield, e cedo se destacou, tornando-se no cabeça de cartaz da fornalha de formação do Liverpool.

Estreou-se em Março de 2012 num jogo contra o Wigan, tornando-se no segundo jogador mais jovem a representar o clube em provas oficiais. A partir deste dia, Raheem Sterling nunca mais abandonou os trabalhos com a equipa sénior, tendo em Brendan Rodgers um grande apoio e suporte, pois o treinador do Liverpool acredita plenamente nas suas capacidades.

Somente com 18 anos, o extremo direito jamaicano representou todos os escalões de formação da selecção inglesa. Inicialmente, existiu algum dúvida sobre qual a pátria que iria defender, mas a verdade é que Roy Hodgon (seleccionador inglês) não perdeu muito tempo e já o lançou na selecção A.

Velocidade de ponta natural da Jamaica, finta e habilidade de instinto latino, e agressividade e conhecimento táctico vindo dos ingleses, tornam Sterling num dos meninos mais promissores do futebol mundial.

Qualidade… Muita qualidade no seu estado mais puro!

 Imagem

Atsu

O futebol é um mundo de sonhos em que tudo pode acontecer, rápido se passa de “burro” a “cavalo” e mais rápido de “cavalo” a “burro”, o sucesso acompanha os trabalhadores, assim como Christian Twasam Atsu.

Este jovem de 20 anos é natural de Ada Foah, Gana, mas foi em Portugal e mais especificamente no maior clube da cidade do Porto, o FC Porto, que se formou como jogador. Desde 2009 até 2011 jogou nos Juniores e na época de 2010/2011 foi chamado pela primeira vez à equipa principal pelo então treinador do FCP, André Villas-Boas, mas sem minutos de jogo. Para um maior proveito do seu potencial e aumentar a sua experiência e maturidade foi emprestado ao Rio Ave da primeira divisão Portuguesa durante a época de 2011/2012 onde disputou 27 jogos e marcou 6 golos, tendo sido um deles a um dos grandes do futebol Português, o SL Benfica. Na presente época ficou na equipa principal do Porto onde tem vindo a dispor de minutos para mostrar o seu talento contribuindo para o actual primeiro lugar da equipa na Liga Portuguesa e presença nas taças de Portugal e da Liga, assim como na Liga dos Campeões. A sua explosão como jogador de talento levou à sua chamada à selecção principal de Gana onde já marcou 2 golos em 5 jogos, sendo apontado como uma aposta de excelente perspectiva.

Pode jogar a avançado devido à sua capacidade finalizadora e acentuada mobilidade, mas é a extremo, tanto na direita como na esquerda, que mais rende. Em muito de deve ao facto de ser muito veloz, tanto a desmarcar-se como em posse de bola, e por ter um drible curto muito rápido, que usa muitas vezes no um para um criando desequilíbrios nas defesas adversárias, a sua especialidade. Com a sua qualidade técnica e grande agilidade procura muitas vezes a linha para assistir os seus colegas e com a sua velocidade de explosão procura as desmarcações nas costas das defesas de modo a surgir isolado tanto para o passe final como para poder finalizar na cara do guarda-redes. A tudo isto se junta a sua forte capacidade física, tanto a nível aeróbio, como a nível de contacto físico e o remate poderoso do seu pé esquerdo.

Formam-se, são lançados aos “lobos” e depois de se tornarem “Homens” do futebol, contribuem com todo o seu talento e trabalho, Atsu um miúdo maravilha do hoje para o amanha.

 

Paul Pogba

O futebol é multifacetado e multicultural, apresentado muitas vezes talentos com várias características juntas pouco comuns de se ter, como é o caso de Paul Labile Pogba.

Este jovem Francês, filho de pais ganeses, nasceu em Paris e começou a dar os primeiros toques apenas com 6 anos no Roissy-en-Brie, onde fez formação até 2006 transferindo-se na altura para o Torcy. Apenas uma época a seguir começou a jogar a nível profissional no Le Hauvre onde esteve 2 épocas. Tornou-se capitão e liderou a sua equipa até à fase final de sub 16, ficando em segundo. Essa excelente época fez com que fosse chamado à selecção Francesa sub-16, e com que se transferisse para o Manchester United, que também teve que contratar os seus pais para se poder concretizar a respectiva transferência para o poderoso clube inglês.Começou nos juniores e na época 2011/2012, foi promovido por Sir Alex Fergunson à equipa principal, mas sem grandes oportunidades de se afirmar como titular acabou por se transferir esta época para a Juventus onde já conta com 5 jogos e um golão contra o Nápoles. Presença assídua em todas as selecções jovens de França desde os sub-16 até à actual sub-20 marcou 9 golos capitaneando os sub-16 na vitoria no Aegean Cup e no Tournoi du Val-de-Marne e participando ainda no 2010 UEFA European Under-17 Football Championship.

Este portentoso jogador joga no meio-campo podendo fazer qualquer posição com bastante facilidade, tanto a médio defensivo, a “box-to-box” e inclusive a médio ofensivo. Esta polivalência é sinal claro de toda a sua qualidade de um jogador equilibrado, forte fisicamente e com muita cultura táctico-técnica. Com uma capacidade aeróbia impressionante, um físico imponente, uma visão de jogo superior à média, um bom toque de bola no domínio e passe, possui também um remate forte com qualquer um dos pés, fazendo dele uma “máquina avassaladora” no meio campo podendo ao mesmo tempo que equilibra a sua equipa, desequilibrar a equipa adversária com a sua habilidade, velocidade e criatividade.

Muitos jogadores da actualidade são considerados nucleares nas suas equipas e este jovem jogador demonstra ser muito completo e preparado para assumir esse papel, Pogba um miúdo maravilha do hoje para o amanha.

 

Erik Lamela

Erik Lamela

O Futebol é considerado por muitos uma arte, e é nesse contexto que Erik Lamela deslumbra com o seu “Tango”.
Nascido em Buenos Aires, Argentina, este jovem talento começou nas camadas jovens do mundialmente conhecido River Plate. Fez toda a sua formação no clube até que com 18 anos fez a sua estrei pela equipa principal, alcançando o seu primeiro golo na época de 2010/2011, e foi na época seguinte onde se afirmou como jogador titularíssimo do clube realizando 34 jogos, 4 golos e 3 assistências, sempre com exibições vistosas e consistentes. Essas exibições de qualidade foram motivo da sua chamada à selecção “Celeste” sub-20, sendo o mais evidenciado na sua participação no Mundial sub 20 com 4 golos. Toda esta consistência de exibições e deslumbre de classe despertou o interesse de entre outros, o A.S.Roma que o contratou por 12 milhões de euros e onde já ganhou o seu lugar na equipa titular disputando 31 jogos onde fez 6 assistências e 6 golos na sempre dura e difícil liga Italiana. Nessa época de 2011/2012 foi o melhor da sua selecção sub 20, contratado pela poderosa Roma e estreou-se pela selecção principal da Argentina.
Lamela, apesar de poder jogar nas linhas devido à sua velocidade e agilidade, é um número dez de raiz, mas não um 10 tradicional argentino, pois alem de ser possante fisicamente, é um jogador de enorme simplicidade na hora de tocar a bola sem grandes adereços, optando sempre por ser o mais objectivo e consequente possível. Possui um toque de bola de classe, com bom drible curto, imprevisível no um para um, sempre a desenhar o ataque da sua equipa onde a sua especialidade é o ultimo passe colocando muitas vezes os seus colegas na cara do golo, é um organizador nato, equilibrando a sua equipa com os seus movimentos e capacidade física, incansável. Possui um pé esquerdo de requinte, com grande capacidade de remate que prepara com rapidez e em pouco espaço surgindo muitas vezes na área para finalizar e exímio na marcação de bolas paradas o que o torna ainda mais influente no sucesso da sua equipa.
Um verdadeiro artista Argentino, que “dança” e faz “dançar”, Erik Lamela um miúdo maravilha do hoje para o amanhã.

Bahebeck

O futebol sempre foi um desporto de todos, dos mais novos aos mais velhos, dos mais pobres aos mais ricos, e ultimamente têm surgido milionários a investir fortemente em clubes, mas nem só o dinheiro dá títulos, é necessário talento assim como o de Jean-Christophe Bahebeck.

Natural de Saint- Denis, França onde nasceu à 19 anos, este jovem talento começou a dar os primeiros toques no “Club Sportif Municipal de Persan”, em 2000 com apenas 7 anos. Depois de três épocas, mudou-se para o Union Sportive Persan, onde deu nas vistas, chamando a atenção dos olheiros do PSG. Apesar desse interesse só em 2007 é que se concretizou a transferência para as camadas jovens do Paris Saint-German já com 14 anos e depois de muitos golos marcados. Começou a jogar na academia do PSG “Camp des Loges”, nos sub 15 e depressa se afirmou como um autentico matador. Com 15 anos marcou 17 golos em 23 jogos nos sub 17, e com 16 anos marcou 14 golos em 20 jogos nos sub 19, ajudando a sua equipa a ser campeã em cada escalão. Com as suas exibições de autentico instinto matador, foi chamado para representar o seu país nos sub 16, sub 18 e sub 19, participando no Euro sub 19 de 2012, onde de destacou com exibições de nível superior e 2 golos. Em 2010-2011 jogou pela equipa B do PSG, sendo chamado pontualmente para a equipa principal onde marcou na sua estreia. Na época seguinte assinou um contracto profissional de três anos com a equipa principal e fez a sua estreia na Liga Europa onde marcou um golo. Devido à falta de espaço e de experiencia na presente época foi emprestando ao Troyes que disputa a Ligue 1.

Começou a jogar como extremo mas onde mais brilha e se denota é a avançado. É um jogador muito versátil, ágil e rápido. Possui uma velocidade estonteante, o que lhe permite jogar também nas duas linhas, e serve-se dela como ninguém para ultrapassar os seus adversários e finalizar. Joga bem com os dois pés e usa-os com muita rapidez quer no drible quer a armar o remate. É um avançado móvel que procura muitas vezes a desmarcação nas costas da defesa adversária mas que também usa o um contra um como arma para a obtenção de espaço para o toque final, a sua especialidade.

Existem jogadores que fazem com que a arte de marcar golos pareça simples e fácil. A isso chama-se talento nato, Bahebeck um miúdo maravilha do hoje para o amanha.

 

Stafylidis

Em muitas ocasiões é o futebol que faz esquecer as situações menos boas nas nossas vidas, nem que momentaneamente, e os Gregos têm um novo motivo para sorrir, Kostas Stafylidis.

Este jovem Grego nasceu em Thessaloniki à 18 anos atrás, e começou a jogar desde 2006 no PAOK. Foi evoluindo nas camadas jovens até atingir o plantel principal e em Novembro de 2011 fez a estreia pela equipa principal na Superliga Grega contra o  Panetolikos F.C. e nas competições europeias contra o Tottenham para a Liga Europa. Transferiu-se esta época para o Bayer Leverkusen, mas ficou emprestado ao PAOK para uma maior experiência. Presença nas camadas jovens do seu país desde os sub-17 até aos sub-21, participando activamente no europeu sub-17 e mais recentemente no Europeu sub-19 onde se denotou pela qualidade do seu pé esquerdo, estando em grande plano no alcance da medalha de prata.

Lateral-esquerdo de raiz, também pode atuar como médio esquerdo pois apesar de defender bem, de ser um lateral alto, de se posicionar muito bem, e de tacticamente cumprir na perfeição, é um jogador ágil e rápido que sabe atacar e cruzar ainda melhor. É dotado de um pé esquerdo com requinte no passe e no domínio de bola, consegue chegar com facilidade ao ataque desmarcando muitas vezes os colegas com passes assertivos e cruzamentos milimétricos para que estes possam finalizar com êxito. E ainda contribui para a equipa com os seus livres perigosos tanto a cruzar como a rematar, o que hoje em dia é muito importante pois cada vez mais muitos jogos são decididos em bolas paradas.

Costuma-se dizer que existem passes que são meio golo e Stafylidis faz justiça a esse comentário, Kostas Stafylidis um miúdo maravilha do hoje para o amanha.Imagem